Eletroencefalografia


O eletroencefalograma, também chamado de EEG, é um exame complementar que registra a atividade elétrica cerebral através de eletrodos afixados no couro cabeludo, com uma pasta condutora. Dessa forma é obtido um registro (traçado) das ondas elétricas cerebrais.
Os registros são obtidos com o indivíduo em vigília, sonolência e/ou sono espontâneo. Durante o exame são realizadas manobras para sensibilizar o mesmo, que são : a hiperventilação (onde o paciente deve respirar profundamente por 3 minutos) e a fotoestimulação intermitente (luz piscando em frequências pré determinadas).
A duração habitual do EEG de rotina varia entre 20 e 30 minutos.
O objetivo principal do EEG é identificar anormalidades associadas à epilepsia, prestando-se ainda para acompanhamento de pacientes com esse diagnóstico, além de outras condições neurológicas que precisam ser diferenciadas da epilepsia. Também é útil no coma, rebaixamento do nível de consciência, transtornos comportamentais, síndromes demenciais e atrasos globais do desenvolvimento neuropsicomotor.
É importante ressaltar que, como ocorre com todo exame complementar, esse método deve ser avaliado conjuntamente com as manifestações clínicas apresentadas.